terça-feira, 31 de maio de 2011

FIFA e CBF: o "mundo" que se basta


Blatter vendo a porca torcer o rabo


As recentes acusações feitas contra a cúpula dirigente do planeta bola, caíram como uma bomba no processo sucessório da FIFA, em que Joseph Blatter pretende ser o Comandante-em-chefe por longos e longos anos.

A oposição crescente da UEFA, dirigida por Michel Platini - se não é um anjo de candura, ao menos jogou bola, e muita - ganhou ainda mais força diante da crise. A Inglaterra ainda lambe as feridas abertas na escolha das sedes das Copas de 2018 e 2022, vencidas, respectivamente, por Rússia e Catar.



Enquanto isso, Platini se diverte...



Os dois votos recebidos pelos ingleses na votação indicavam que havia algo muito estranho no ar. E foi através da BBC, emissora pública da terra da Rainha, que o escândalo apareceu.

Uma intensa troca de "presentes" entre dirigentes de futebol foi denunciado, para convencê-los a respeito da melhor "estrutura" para receber uma Copa do Mundo.

E, claro, o nome de Ricardo Teixeira apareceu!



Ah! Vá! Não brinca?



Clique no link abaixo, extraído do site da ESPN Brasil, para entender melhor:

ESPN.com.br / Copa do Mundo FIFA - Informação é o nosso esporte - VÍDEO: Jornalista britânico dispara: 'Quando os governantes brasileiros irão dar um basta?'

Após um acordo com a Justiça suíça, garantindo o sigilo de documentos que comprovam a sacanagem toda, os dirigentes envolvidos passaram a absolver a si próprios, como se fossem os donos da verdade e qualquer justificativa tornou-se aceitável. Mas nesta barca de salvação, não cabia todo mundo.



Bin Hammam: o amigo da rodada!



O único candidato de oposição a Blatter nas eleições da FIFA, o catariano Mohamed Bin Hammam, foi o bode expiatório escolhido para carregar o peso de toda e qualquer maldade cometida no processo que escolheu seu país como sede da Copa.

Tirando o bode da sala, caminho livre para a reeleição de Blatter.



Havelange finge-se de morto: tadinho do coveiro!


Daí pra frente, puxando a ponta do barbante, apareceram ainda um dinheiro mal explicado recebido por João Havelange, nos tempos da ISL. Empresa que cuidava do marketing da FIFA, e enriqueceu tanto a alguns poucos que acabou falindo.

E a Justiça diante disso? Nem se mete! Os próprios dirigentes se resolvem. Reúnem seus comitês de ética - comprometidos desde a ossatura com os mesmos - e pronto, estão livres de qualquer suspeita.

Aliás, a chamada "Justiça Comum" é rechaçada pela FIFA, punindo os clubes que a acionam. Eles possuem uma Justiça deles, indicada por eles, que decide por eles.

Como não poderia ser diferente, nossa digníssima CBF segue fielmente as determinações da chefia. Exceto quando não a convém.

Se ninguém pode ir ao judiciário no futebol, Ricardo Teixeira pode!

Sempre que contestado em suas ações, lá vem processo. Ainda bem que ele já perdeu vários!

E assim, tentando se manter distante do mundo real, o mundo do futebol caminha. O problema é que, às vezes, o mundo real cobra a fatura de tanta fartura.

É isso que as denúncias evidenciam. O quanto a distância mantida entre os dois mundos, fez com que os dirigentes do futebol mundial, e nacional, perdessem os limites em sua ganância. O caso da Suíça revela que nem toda a discrição do país para guardar dinheiro, que sabe-se lá de onde veio, conseguiu suportar a corrupção frenética dos engravatados da bola. Mas porque nós somos obrigados?

Já passou da hora dos governos - que, em tese, possuem legitimidade popular para impedir toda esta palhaçada - se mexerem e organizar intervenções nas confederações nacionais de futebol. E o nosso tem uma grande oportunidade!



Dizem que Lula vem aí, será?


O Comitê Organizador da Copa de 2014 é presidido, controlado, dominado e está a serviço de Ricardo Teixeira. Só nesta brincadeira aí, bilhões de reais estão correndo pelas mãos dele, e sabe-se lá o que se faz com isso. Ou sabe-se, mas se cala.

Boa parte desta dinheirama é pública e, diante de tantas suspeitas de promiscuidade monetária, não cabe deixar as galinhas para a raposa cuidar.

Mas continuamos esperando uma posição do Ministro Orlando Silva e da Presidenta Dilma acerca do assunto. Até agora, o mais sepulcral silêncio.


Valeu,

Bruno Porpetta

domingo, 29 de maio de 2011

O dia em que nos tornamos mais exigentes

Assistir ao Campeonato Brasileiro hoje foi difícil. Muito difícil!



Pra quem viu Miró, fica difícil ver o Parreira



Depois da exibição de ontem que, felizmente, chegou a grande parte dos lares brasileiros, automaticamente voltamos a nos perguntar se é possível vencer com classe, estilo e sorrisos nos rostos.

Obviamente, o Barcelona nos provou que sim. Mas sempre persistem os defensores da técnica submetida à tática, ao invés do contrário. Um futebol como aquele não pode ser desconsiderado, e a pulga fica atrás da orelha.

Resignamo-nos então ao nosso futebol econômico, e assistimos do jeito que vierem os jogos do Brasileirão.

Se bem que, a cada jogada bisonha que se vê por aqui, logo vem a cabeça os lances da final da Liga dos Campeões, e aquele desejo: "Ah, se fosse o Xavi..."

Diante deste cenário, temos novos líderes no campeonato.

Um deles é o time reserva do Vasco.

Encerrando a rodada, venceram o América-MG, no estádio de São Januário, por 3 a 0 e mais uma bela atuação do, ainda, reserva Bernardo, enquanto esteve em campo. Sabendo de sua importância, Ricardo Gomes o substituiu por Enrico no intervalo.

E não é que deu sorte? Enrico marcou um dos gols da vitória, além de Bernardo e Elton.

O Vasco divide a liderança com o Atlético-MG, que venceu o time abatido do Avaí, em plena Ressacada, por 3 a 1. Olho no Galo! Até o momento, uma agradável surpresa para sua torcida.

Um dos favoritos de antemão jogou no sábado, e dentro do Beira-Rio, foi derrotado por 1 a 0 pelo Ceará. Assim como na primeira rodada, com um futebol desanimador. O gol foi, ironicamente, de Iarley.

Também no sabadão da bola, o Botafogo venceu os reservas do Santos por 1 a 0, em um jogo pouco inspirado. E o São Paulo, com Lucas decidindo em um jogo morno, fez 1 a 0 sobre o Figueirense, no estádio do Morumbi.

Já no horário nobre do futebol, o Bahia recebeu o Flamengo no estádio de Pituaçu. Inegavelmente, um jogo de seis gols não pode ser considerado ruim. Mas as deficiências defensivas de ambas equipes são irritantes.

Apesar da proposta de jogo do tricolor baiano, jogando a primeira em casa em sua volta à elite, era de chamar o adversário para o seu campo e partir nos contra-ataques.

Já o rubronegro carioca, no primeiro tempo, errava passes demais no ataque, e no segundo, um passe errado de Fernando na frente da área deu o empate ao Bahia. Detalhe, o Flamengo sofreu o terceiro gol com um jogador a mais.

Não vi, mas o Grêmio derrotou o Atlético-PR por 1 a 0, na Arena da Baixada, com um gol contra daqueles bem desagradáveis. Fico imaginando o nível da partida. E o Furacão que se cuide, desse jeito corre sério risco de conquistar uma vaga na Série B do ano que vem.

No jogo dos Palestras, em Sete Lagoas, o Cruzeiro só empatou com o Palmeiras. O atacante Anselmo Ramon, do Cruzeiro, se salvou de uma chuva de ovos com seu gol. O que ele perdeu foi enlouquecedoramente horrendo! E a Raposa, também colocada entre os favoritos, também derrapa no início.

O Corinthians também chegou aos seis pontos, mas com menos gols, ficou atrás dos líderes.

Venceu o time reserva do Coritiba por 2 a 1, no estádio Fonte Luminosa, em Araraquara. Com um time meia-boca, vem se virando e vencendo. A expectativa é para a estreia dos reforços ao longo do campeonato.

O destaque é para o uniforme corinthiano na tarde de hoje. Uma homenagem ao Torino, da Itália, e a São Jorge. Bonitinho, mas ordinário. Uma torcida organizada invadiu o gramado para protestar contra o uniforme. Desnecessária a atitude.

Pra completar a rodada, o Fluminense venceu, por 1 a 0, o Atlético-GO, no Serra Dourada. Um jogo chatíssimo, em que o tricolor se deu bem. Mesmo mal, a vitória conta três pontos. E era disso que o Flu andava precisando.

Acabada a rodada, já deu saudade de sábado.


Valeu,

Bruno Porpetta

sábado, 28 de maio de 2011

Barcelona, inebriante! Messi, um gênio!

Eu juro que tento ser isento quando falo do Barcelona, mas este timaço não deixa!

E olha que o adversário era enorme! O Manchester United, apesar da diferença de estilo, é um grande time.

Com jogadores como Rooney, que mostrou hoje que pode ser decisivo e chamar o jogo pra si, os Red Devils chegaram à final com moral e ninguém, em sã consciência, poderia apontar um favorito claro.

Mas este Barça mostrou que é, de fato, o melhor time do planeta e um dos melhores da história!

E não é exagero nenhum dizer isso.

Com autoridade, o Barcelona sagrou-se campeão da Liga dos Campeões da Europa derrotando o Manchester United, por 3 a 1. Com um espetáculo de Messi!




Daqui a 50 anos, direi aos meus netos que eu vi o Messi jogando!



Dominou o jogo desde o início. Com a bola, tentava penetrar na defesa sólida do United, enquanto sua defesa passava poucos apuros.

Eis que o gol saiu! Aos 26 da primeira etapa, Xavi, que teve belíssima atuação, deu um passe maravilhoso para Pedro, discreto até o momento, tocar na saída de Van der Sar.

Daí, o Barcelona, mais tranquilo, tocou ainda mais a bola até o reposicionamento de Rooney. Se antes ele marcava Daniel Alves, depois inverteu o lado para construir uma linda tabela com Giggs e bater no ângulo. Oito minutos depois, o empate e um golaço!

O jogo mudou um pouco, e o time inglês passou a incomodar mais. Mas nada que tirasse propriamente o Barcelona do seu jogo, que ainda continuava com boa posse de bola.

Veio o intervalo, e o jogo ainda estava aberto.

Mas quem esperava um jogo ainda mais duro no segundo tempo, enganou-se. O Barcelona voltou se impondo novamente, e logo aos oito minutos, ele apareceu!

Ao receber uma bola de Iniesta, o gênio Messi carrega a bola e arrisca de fora da área, com curva, para vencer Van der Sar e restabelecer a vantagem ao Barça. Mas também não dá pra esquecer das canetas, das arrancadas. O melhor jogador de futebol do mundo!

Depois disso, o Barcelona passou a infernizar a vida do United, com a bola trocando de pés e botando os ingleses na roda.

O terceiro gol, não somente era uma possibilidade, mas também um desejo de quem ama o bom futebol.

E só podia ser com a participação dele, o Messias desta religião que admira o futebol bonito, Lionel Messi!

Ele arrancou driblando pela direita, passou por três marcadores, tocou curto para trás e a zaga tomou, o Barça retomou, a bola chega em Villa - que até aquele momento ia bem mas chutava pouco - bateu colocado no ângulo, aos 24 minutos. Outro golaço!

Apesar de Rooney tentar carregar a bola e chamar a responsabilidade para si, o Barcelona já havia destroçado seu time. Continuou senhor do jogo, com Messi ainda dando espetáculo.

Enquanto Iniesta foi mais discreto pelo Barça, Chicharito, do United, sequer merecia citação. Simplesmente, não jogou! Se fosse o Alex Ferguson, cobraria ingresso dele!

E foi só esperar o apito final do árbitro para comemorar, pela quarta vez, o título da Liga dos Campeões.

No duelo dos estilos de jogo, venceu o mais bonito. Felizmente!


Valeu,

Bruno Porpetta

A grande final do Velho Mundo

Hoje, às 15:45h, horário de Brasília, é hora de parar em frente à TV e assistir a um grande clássico.

Barcelona e Manchester United decidem a Liga dos Campeões da Europa, no finado estádio de Wembley, em Londres.

Finado porque, diante das exigências do capitalismo predatório em destruir a história para construir o futuro, o tradicional estádio foi derrubado e outro, muito mais moderno, foi erguido no lugar.



Vai de táxi pra Manchester, ou de trem para Barcelona?



E neste palco, haverá o confronto de duas escolas. Uma que joga com a bola, outra sem.

O Barcelona possui, em média, quase 70% de posse de bola em suas partidas. É um time que a toca rápido, aguardando o melhor momento para a penetração na área. E conta com a genialidade de Messi para tal propósito, além de Xavi e Iniesta no meio-campo e o apoio constante de Daniel Alves pela direita.

Sua marcação é no campo do adversário, e a melhor forma de anular o adversário é, justamente, ter a bola em seus pés.

Lá pelos lados de Manchester, a ordem é inversa. É um time que marca muito, e tem uma dupla de zagueiros invejável - Vidic e Ferdinand - ao contrário do Barcelona, cuja zaga é um ponto frágil.

Mas a saída para o frente é rápida e com muita qualidade. O excelente Giggs, de 37 anos, participa efetivamente do jogo, marcando com maestria e construindo as jogadas de ataque com Rooney e Chicharito. Aliás, os dois atacantes estão em ótima fase e podem ser decisivos.

Além de tudo isso, há uma motivação extra para o Manchester United. O grande goleiro holandês Van der Sar se despede dos gramados, aos 40 anos de idade, e em alta. Será seu último jogo, e nada melhor que um título de Liga dos Campeões para coroar em grande estilo sua aposentadoria. Os diabos vermelhos sabem disso, e farão de tudo para conseguí-lo.

Qual estilo de jogo vencerá?

O refinamento catalão ou a produção operária inglesa?

Logo, saberemos!


Valeu,

Bruno Porpetta

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Carta Aberta aos Petistas, por Milton Temer

Em tempos de veto ao Kit Anti-homofobia e aprovação do novo Código Florestal, que não só entrega nossas florestas aos interesses do capital como anistia os desmatadores, que além de roubar nossas riquezas naturais, matam quem luta por elas, não tinha como não publicar no meu blog a carta de Milton Temer.

Porque o PT ainda conserva em si parte considerável dos lutadores e lutadoras do povo, que compartilham com Milton, comigo e com uma série de outras pessoas o mesmo sonho.

A construção de uma sociedade socialista.

Recomendo fortemente a leitura a tod@s!

Carta Aberta aos Petistas


Valeu,

Bruno Porpetta

No Uruguai, deu Peñarol!

Mais uma vez o Peñarol enfrentava um adversário tecnicamente superior. Mais uma vez, venceu!

No estádio Centenário, em Montevidéu, o time uruguaio fez 1 a 0 sobre o favorito Velez Sarsfield, e leva, se não grande, uma boa vantagem para o jogo de volta, na Argentina.

Se as vantagens dos jogos de ida se confirmarem teremos uma final histórica na Libertadores. Santos x Peñarol! Já imaginou?

Aguardemos.


Valeu,

Bruno Porpetta

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Peixe, um pequeno e bom passo

Alguns torcedores podem estar frustrados pelo magro placar de 1 a 0 conquistado pelo Santos.

No jogo de ontem contra o Cerro Porteño, pela partida de ida das semifinais da Libertadores, o alvinegro contava com o apoio maciço da sua torcida, que lotava o estádio do Pacaembu. E como todo bom mandante, partiu pra cima do time paraguaio.

Apesar de manter a bola nos pés, não conseguia chegar ao gol.

Além de ter o inoperante Zé Eduardo à frente, não tinha um meia de ofício. A opção de colocar Elano na armação, apostando na experiência, ao invés de Alan Patrick, não surtiu o efeito esperado, visto que o camisa oito acabou se tornando presa fácil para a marcação.

Aliás, é impressionante como o futebol de Zé Eduardo parece já ter se apresentado ao Genoa, para onde foi vendido. Desde então, nunca mais jogou nada por aqui!

E Ganso... como faz falta!

Neste panorama, só alguém capaz de decidir com genialidade poderia mudá-lo. E o Santos tem Neymar!



Neymar vem carregando a responsa nas costas



O atacante, em jogada individual brilhante, foi à linha de fundo e cruzou na medida para a cabeçada de Edu Dracena, que entrou por pouco, mas entrou. Aos 43 do primeiro tempo.

Na etapa final, o Cerro teve de partir (um pouco) pra cima do Santos. E começou a dar espaços.

Neymar, apesar de pecar pelo individualismo em alguns lances, propôs-se a recuar para armar o time, que criou melhores chances com a saída de Zé Eduardo, substituído por Maikon Leite.

Mas o placar permaneceu inalterado até o fim.

Pouco? Pode ser! Mas em jogo de Libertadores, ainda mais em semifinal, qualquer vantagem é vantagem. E no confronto, tá 1 a 0 pro Santos!

Agora, é no Defensores del Chaco. Sempre complicado, mas o Santos é favorito!


Valeu,

Bruno Porpetta

Agora, é só entre os dois: Coritiba x Vasco

O Vasco eliminou o Avaí, no estádio da Ressacada, vencendo o jogo por 2 a 0. Os gols foram marcados por Revson - contra - e Diego Souza.

Valem os destaques. O Vasco se impôs em campo, botou sua camisa com enorme tradição para jogar e fez um primeiro tempo impecável, com grande atuação de Diego Souza e um passe milimétrico, e surpreendente, de Alecsandro para o segundo gol.

No Couto Pereira, o Coritiba venceu pelo placar mínimo o Ceará, gol de Anderson Aquino. Um belo gol, diga-se de passagem!

O Coxa buscou o jogo, enquanto o Ceará buscava, contando com a boa fase do goleiro Fernando Henrique, os pênaltis. Logo no início do segundo tempo, a ousadia paranaense surtiu efeito e a equipe abriu o placar. Só em desvantagem o Ceará procurou jogo, e assim deu mais espaços lá atrás. Mas ficou por isso mesmo.

Agora, os cruzmaltinos e coxa brancas se pegam na final.



Quem leva a Copa do Brasil?



Quem vence? A velocidade do time do Coritiba? Ou a experiência e a camisa do Vasco?

Começaremos a saber na quarta-feira que vem!


Valeu,

Bruno Porpetta

terça-feira, 24 de maio de 2011

Parabéns, Eric Cantona!

Hoje, Eric Cantona completa 45 anos!

Foi um gênio! Jogava muita bola. Tanta bola quanto sua capacidade de arrumar confusões.

O homem que realizou o sonho de Napoleão, se tornou ídolo na Inglaterra, mais precisamente da torcida do Manchester United.

Mas nunca se curvou! Nem aos treinadores, nem aos companheiros de time, nem, até mesmo, ao sistema.

Abaixo, um vídeo recente onde Cantona sugere uma revolução contra os bancos.

Nós, amantes de futebol, o reverenciamos. Muitos anos de vida, Eric Cantona!







Valeu,

Bruno Porpetta

Pincelada na rodada

A primeira rodada do Brasileirão só teve um empate, quatro vitórias dos mandantes e três vitórias dos visitantes.

A igualdade aconteceu entre os reservas do Santos e o que havia de melhor no Inter, na Vila Belmiro. O jogo terminou em 1 a 1, e os colorados ficaram um pouco decepcionados por não aproveitar a chance de conquistar três pontos fora de casa. Podem fazer falta lá na frente!

O Flamengo e, em especial, Ronaldinho, finalmente jogou bola. Goleou o mistão do Avaí por 4 a 0 e mostrou um bom futebol. Graças a Paul McCartney, o jogo aconteceu em Macaé.

Em Fortaleza, no estádio Presidente Vargas, um jogo só entre reservas de Ceará e Vasco. Melhor para os cruzmaltinos, que venceram, de virada, por 3 a 1, com dois gols e excelente atuação do inexplicavelmente reserva Bernardo.

Na Arena do Jacaré, o Atlético-MG recebeu o Furacão do Paraná e despachou-o com facilidade. Fez 3 a 0, sem maiores problemas.

No resumo do sábado, a média de gols era de 3, 25. Melhor início, impossível!

Veio o domingo e o Palmeiras recebeu o Botafogo, que sem seus atacantes não conseguia sair para o jogo. Final, um magro 1 a 0, mas justo.

O Figueirense aprontou a primeira zebra da competição. O Cruzeiro, um dos favoritos ao título, foi ao Orlando Scarpelli e perdeu por 1 a 0 para o Figueira.

Os reservas do Coritiba foram derrotados em casa para o Atlético-GO, por 1 a 0. Se por enquanto isso não é importante para o Coxa, que poupou seus titulares para o jogo decisivo das semifinais da Copa do Brasil, foi triste pela torcida, que compareceu em massa ao estádio Couto Pereira.

O Corinthians surpreendeu o Grêmio, no Olímpico, e venceu de virada por 2 a 1. Com um pênalti metafísico para cada lado (materialmente, não houve nada) e um golaço de Liedson. Mau começo para o tricolor gaúcho!

No duelo de dois clubes que acabaram de subir, o América-MG venceu o Bahia, por 2 a 1, também na Arena do Jacaré. Sem o Mineirão e o Independência, parece ser a única alternativa viável para os times de Belo Horizonte.

Atual campeão brasileiro, o Fluminense podia mostrar algo mais do que vinha exibindo até aqui. Mas não o fez e, diante de uma dupla inspirada - Lucas e Dagoberto - foi presa fácil para o São Paulo. Inapeláveis 2 a 0, e muito trabalho para Abel Braga arrumar essa bagunça que é o time das Laranjeiras.

Apesar da queda de gols dominicais, não dá pra falar que a rodada foi ruim. Terminou em 2,4 gols de média, mas ainda tem muito a acontecer.

Esperemos para ver!


Valeu,

Bruno Porpetta

sábado, 21 de maio de 2011

Seja bem-vindo, Ronaldinho!

O Flamengo, finalmente, conseguiu conjugar os dois verbos mais importantes do futebol: vencer e convencer!

Venceu o Campeonato Carioca, mas em nenhum momento convenceu.

Convenceu no duelo contra o Ceará, pela Copa do Brasil. Mas não venceu.

E na estreia no Brasileirão, o Flamengo fez os dois. Não só venceu, como goleou o Avaí por 4 a 0!

Tudo bem que era um mistão do Avaí, que joga a vida no meio de semana para garantir classificação à final da Copa do Brasil, mas o Flamengo conseguiu tornar irrelevante qualquer que fosse o adversário.

Ainda mostrou as mesmas deficiências na defesa.

Ainda possui um poste na frente, que troca só o nome de um jogo pra outro. Hoje foi o Wanderley.

Ainda tem o Egídio, que não serve sequer para lustrar chuteiras.



Ronaldinho: fino como a bola de hoje



Mas hoje, finalmente, ganhou um enorme reforço. Ronaldinho, que tinha espasmos de bom futebol, hoje fez um partidaço. Com direito a um golaço, que lembra um pouquinho àqueles que ele fazia na Catalunha.

Se a disposição dele for essa, o Flamengo entra com força para disputar o título da competição. Para a alegria de 40 milhões de brasileiros!

E ainda tem o Thiago Neves...


Valeu,

Bruno Porpetta

Bernardo é o cara!

Em um jogo de reservas para ambos os times, visto que Ceará e Vasco jogam ainda as semifinais da Copa do Brasil, o clube carioca foi melhor.

Mas, tal como os titulares, esbarram na falta de capricho na conclusão dos lances.

E o resultado, em geral, é o mesmo. Acaba levando um gol, mesmo jogando melhor.

Foi o que aconteceu. Aos 20 do segundo tempo, o Ceará abriu o placar com Cleber, em um lance de muita sorte do atacante.

O Vasco perdia até os 32 minutos, até que Bernardo resolveu decidir a partida. Marcou dois gols, um aos 32 e outro aos 34, e virou o placar para o cruzmaltino.




Bernardo decide, e despacha a carroça



A torcida vascaína já canta que é o time da virada, e pra consolidá-la, Jefferson amplia aos 44 minutos.

Grande vitória do Vasco!

E importantíssima, pois soma pontos em um período onde ainda disputa outra competição e está voltado para ela.


Valeu,

Bruno Porpetta

E o primeiro gol do Brasileirão é...

De Toró!!!!



Toró tem um bom motivo para sorrir



Sim, a promessa de craque artilheiro do Fluminense que acabou virando volante no Flamengo, foi o autor do primeiro gol do campeonato.

Abriu a contagem na boa vitória do Atlético-MG sobre o xará paranaense por 3 a 0.

Magno Alves marcou os outros dois.

Não acompanhei, portanto não posso dizer muita coisa.


Valeu,

Bruno Porpetta

Vai começar a festa!!!

Hoje é o grande dia!

Começa às 18:30 h, com três jogos, o Campeonato Brasileiro.

Até o dia 04 de dezembro, os torcedores estarão ligados na competição mais importante do país do futebol.

São 20 torcidas. Algumas pensando no caneco, outras na Libertadores, na Sulamericana ou, simplesmente, em continuar a fazer parte dessa festa.



É o único campeonato no mundo que, pelo menos, uns sete ou oito clubes entram disputando o título. Em nenhum outro lugar esse número supera dois ou três.

Em si, já é motivo para nos orgulharmos de nosso campeonato, além de não desgrudarmos dos nossos clubes, com a eterna expectativa de ser campeão.

Neste ano, Santos, São Paulo, Flamengo, Fluminense, Cruzeiro, Internacional e Grêmio são os principais favoritos, mas sempre existe alguém pra melar os prognósticos.

Vocês estão prontos?

Então, simbora torcer!

A espera acabou, a festa vai começar!

Que vença o melhor, e que o melhor seja o meu...


Valeu,

Bruno Porpetta

sexta-feira, 20 de maio de 2011

E o Santos pega o Cerro Porteño

Hoje foi conhecido o adversário do Peixe nas semifinais. É o Cerro Porteño, do Paraguai.

Venceu um jogo onde foi muito melhor o tempo todo. Fez 1 a 0 no Jaguares, do México, e classificou-se.

O Santos que se cuide, pois se o time do Cerro não chega ao nível técnico do Peixe, fisicamente está mais inteiro e tem uma grande torcida que lota o caldeirão General Pablo Rojas, em Assunção.

Serão dois grandes jogos, difíceis, mas o Santos, por sua superioridade técnica, leva o favoritismo.

Vamos ver no que dá!


Valeu,

Bruno Porpetta

Peñarol, histórico!

Há 24 anos o Peñarol não chega sequer a uma semifinal da competição que já venceu cinco vezes, a Libertadores da América.

Não chegava!




A camisa joga, e como



Hoje a noite, o time uruguaio perdeu para o Universidad Catolica do Chile por 2 a 1. E foi esse golzinho de Estoyanoff, marcado aos 40 minutos do segundo tempo, quando o confronto caminhava para a disputa de pênaltis, que classificou o Peñarol.

O time de hoje não chega às frieiras daqueles times de outros tempos, mas foi, é e sempre será o Peñarol!

Um resultado histórico no futebol sulamericano. E não é exagero!

Agora, o adversário é o Velez Sarsfield, da Argentina. O melhor time da competição, mas essa camisa do Peñarol anda jogando, e muito!


Valeu,

Bruno Porpetta

quinta-feira, 19 de maio de 2011

É nóis na fita, Mano!

Mano Menezes divulgou a lista de convocados para representar a Seleção Brasileira nos dois amistosos, contra Holanda e Romênia, sendo que este último será a despedida de Ronaldo.

Foram chamados 28 nomes, dos quais seis serão cortados para a Copa América, a ser disputada na Argentina.



A seleção canarinho do Mano



Vou dar aquela cornetada básica na convocação, com um breve comentário para cada nome.



GOLEIROS


FÁBIO - CRUZEIRO

Já faz tempo que anda merecendo. O cara tava pegando até átomo e não era chamado. Mas creio que seja o favorito ao corte para a Copa América.

JÚLIO CÉSAR - INTERNAZIONALE

Por enquanto, só com o nome. Mas não pode ficar de fora.

VICTOR - GRÊMIO

O melhor goleiro do futebol brasileiro na atualidade. E está em melhor fase que Julio César!

JÉFFERSON - BOTAFOGO

O segundo melhor goleiro do futebol brasileiro na atualidade. E também está em melhor fase que o goleiro da Inter de Milão.



ZAGUEIROS


DAVID LUIZ - CHELSEA

Tem futuro! Ainda não o considero uma realidade, pois tem muito a evoluir. Deixa ainda muitos buracos na defesa do Chelsea por se aventurar transloucadamente no ataque.


LÚCIO - INTERNAZIONALE

Pra mim, se nada de anormal acontecer até lá, titular em 2014. É o cara que pode dar um toque de experiência para um time renovado na Copa.


LUISÃO - BENFICA

Bom reserva para a Seleção.

THIAGO SILVA - MILAN

É um monstro! Se convocarem um time pra ONU, ele entra.



LATERAIS


ADRIANO - BARCELONA

Substituiu muito bem o francês Abidal no Barça. Mereceu ser lembrado!

ANDRÉ SANTOS - FENERBAHCE

Não fazendo nenhuma cagada, um bom nome pra compor o elenco.

DANIEL ALVES - BARCELONA

Indiscutível! Hoje, seria meu titular na posição.

MAICON - INTERNAZIONALE

Igualmente indiscutível! Mas em pior fase que Daniel Alves.



MEIO-CAMPISTAS


RAMIRES - CHELSEA

Já se adaptou ao futebol europeu. Estará na Copa, se nada der errado.

ELANO - SANTOS

Mais um para a cota dos experientes do escrete canarinho. Boa pedida!

ELIAS - ATLÉTICO DE MADRI

Merece! Sem mais delongas.

LUCAS - SÃO PAULO

Apesar de algumas partidas ruins após a volta da contusão, tem tudo para ser um dos grandes craques de 2014.

LUCAS LEIVA - LIVERPOOL

Mais uma merecida lembrança. E não poderia ser diferente, o Mano adora o futebol dele.

SANDRO - TOTTENHAM

Excelente cão de guarda para a zaga! Por isso, deve ficar.

HENRIQUE - CRUZEIRO

Bom jogador, mas não garanto que sobreviva ao corte.

ANDERSON - MANCHESTER UNITED

Mais um que já jogou com Mano, no Grêmio. Outro que se não se arrebentar com o carro em um poste inglês, vai à Copa.

JADSON - SHAKHTAR DONETSK

Joga muita bola, mas não sei se permanece.

THIAGO NEVES - FLAMENGO

Foi chamado pelo excelente Carioca que fez. Foi o motor do bonde rubronegro. Disputa vaga na equipe, mas vai ter que provar que a fase é boa também na Seleção.


ATACANTES


ALEXANDRE PATO - MILAN

Tem lugar na Seleção, não garanto no time titular.

FRED - FLUMINENSE

Pra mim, se parar de se contundir com frequência, é o camisa 9 da Seleção em 2014!

NEYMAR - SANTOS

Precisa comentar? Gênio!

NILMAR - VILLAREAL

Às vezes me dá a impressão de que o tempo dele na Seleção acabou, mas ele tá sempre aí. Mano gosta dele. Eu também, mas não é pra tanto.

ROBINHO - MILAN

Vive sua melhor fase na Europa. Achou um novo posicionamento no Milan e tá jogando muito. Pode ser muito mais útil à Seleção do que sempre foi.


LEANDRO DAMIÃO - INTERNACIONAL

Convocação justa, pelo que vem fazendo. Mas não é meu favorito para a jaqueta de número 9 amarela.



Pois bem, a primeira impressão que deve ser colocada é que os cortes serão no gol, no meio-campo e no ataque. Ele deve testar todo mundo nos amistosos, e a partir disso escolher se corta mais em uma posição ou em outra.

Ausência sentida mesmo é a de Marcelo. Com todo respeito aos laterais-esquerdos chamados, mas o jogador do Real Madrid é melhor que os dois juntos!

No geral, o time é bom. É bem equilibrado, mas ainda falta aqueeeele camisa 10.

A camisa, na verdade, já tem dono. É só esperar o Ganso voltar!


Valeu,

Bruno Porpetta

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Resumão da noite

Na Copa do Brasil, Avaí e Coritiba levaram ligeira vantagem para a volta em casa.

Ambos arrancaram um empate contra Vasco e Ceará, respectivamente, no estádio do adversário.

A única diferença é que o Avaí marcou um gol fora, contra o time da Colina. O que lhe dá uma vantagem ainda maior.

Mas, em se tratando de Vasco da Gama, não há de se duvidar de um bom resultado em Florianópolis.




Em São Janú, Vasco 1 x 1 Avaí



Sobre o jogo, é a mesma coisa de sempre em São Januário. O Vasco cria muitas chances, mas não converte a superioridade em gols. Permite o crescimento do adversário no jogo e, salvo no jogo contra o Náutico, que já estava resolvido, leva o gol. Aí tem que correr atrás. Até o momento vem conseguindo, mas se a bola insistir em não entrar, como fica?

Em Fortaleza, no estádio Presidente Vargas, mais uma bela atuação de Fernando Henrique, que salvou o Ceará de uma derrota em casa diante do Coritiba. O resultado não é terrível, visto que um gol do time cearista força o Coritiba a vencer obrigatoriamente o jogo. Mas o Coxa está impossível em casa e, para mim, deve vencer. Só falta combinar isso com o Ceará e fica tudo resolvido!



No Presidente Vargas, Ceará o x o Coritiba


Na Libertadores, o Santos deu pinta de que ganharia com gosto o jogo contra o Once Caldas, no Pacaembu.

Logo aos 11 minutos, Neymar abriu o placar com um belo gol da entrada da área. Até ali, o Santos dominava o campo todo e parecia jogar contra cones, mas recuou e deu espaço ao time colombiano, que passou a assustar até empatar o jogo. Em jogada de bola parada, a zaga santista falhou na marcação e na linha de impedimento (essa foi burra mesmo), e la pelota sobrou limpa para Renteria concluir na cara do goleiro Rafael.

No segundo tempo, o Santos abusou do direito de perder gols. Principalmente com Zé Eduardo, que chegou a irritar a torcida e deu até um certo alívio ao se machucar e ser substituído por Keirrison.

E quando pode, finalmente, matar o jogo, não o fez. Em grande jogada de Neymar, o mesmo sofreu pênalti. Após a catimba do goleiro Martínez, que pedia para o garoto bater com cavadinha, Neymar correu pra bola e bateu mal.



Mesmo perdendo o pênalti, Neymar foi decisivo



Ponto pra Martínez, que pegou o pênalti em seu canto direito!

Daí em diante foi um sufoco só, mas o Once Caldas não conseguiu concluir as jogadas com precisão.

O apito final do juiz foi um alívio para a torcida santista, e o Santos está na semifinal. O próximo adversário vem do confronto entre Cerro Porteño, do Paraguai, e Jaguares, do México. Os dois se enfrentam amanhã, em Assunção.

Que venha o final de semana, com o início do Brasileirão!


Valeu,

Bruno Porpetta

Noite de futebol

Tal como a recente tradição do futebol brasileiro, obviamente determinada pela Rede Globo de Televisão, quarta-feira à noite é hora de futebol. Mas bem tarde da noite, a ponto de deixar boa parte dos torcedores sem transporte público para voltar a suas casas.



Pra quem mora longe, ferrou!



As vítimas da vez são os vascaínos, os cearistas e os santistas.

O Vasco recebe o Avaí, pela primeira perna da semifinal da Copa do Brasil.

E os cruzmaltinos sabem bem o que é sair de São Januário à meia-noite. O trem para o subúrbio, já era. O metrô, idem. Só funcionam algumas linhas de ônibus, e olhe lá!

O Gigante da Colina entra como favorito. Muito pela força da camisa, outro tanto por um bom time, experiente e com um dos maiores zagueiros do país, Dedé.

Embora, a idade de jogadores como Felipe pode pesar em um jogo que exija muito da parte física, e Ricardo Gomes, para mim, às vezes mais atrapalha que ajuda.

Pelo Avaí, joga um time muito afinado e treinado por um cara que parece ter nascido para comandar o time do Guga. Já é o segundo bom trabalho de Silas à frente do clube catarinense. Para ele, só falta acertar em um clube de maior expressão nacional. No Flamengo, não deu certo.

Pode pesar também a idade de Marquinhos, grande meia que também não brilha em times grandes do Brasil. Mas, no Avaí, ele é genial!

Pela mesma competição, o Ceará recebe o (quase) imbatível Coritiba.

Não conheço Fortaleza, mas imagino que, à meia-noite, não devam ter inúmeras e fáceis opções de transporte para retornar ao lar. E, apesar da Globo, eles lotam todos os estádios em que jogam em casa. Seja no Castelão, seja no Presidente Vargas.

O Ceará, que passou pelo Flamengo nas quartas-de-final, também é um time que conta com muita experiência. Geraldo, com 37 anos, comanda o time cearista. Fora as boas fases de Washington e Marcelo Nicácio. Além dos excelentes laterais, Boiadeiro e Vicente.

Do lado paranaense, a única desconfiança é sobre o efeito da primeira derrota no ano, após quebrar o recorde de vitórias consecutivas do futebol brasileiro. De resto, é uma grande equipe, que também entra com favoritismo. Inclusive ao título!

Pela Libertadores, o Santos recebe o Once Caldas.

O jogo será no estádio do Pacaembu, em uma cidade onde os meios de transporte de massas parecem sumir como por encanto, a partir da meia-noite. Só os vencedores da maratona que parte do estádio rumo ao metrô e ônibus conseguem a graça de chegar em casa. Os outros, o prefeito sente muito...

O Santos é favorito, óbvio! Ganhou fora por 1 a 0 e decide em casa, diante de sua torcida e com muito mais time. Mas o Cruzeiro também o foi, e acabou indo.


Valeu,

Bruno Porpetta

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Pra tentar entender o rolo do São Paulo

Primeiro, as tais fontes fidedignas internas ao São Paulo garantem que Carpegiani está fora, após a eliminação do time perante o Avaí, pela Copa do Brasil.

Rivaldo dá uma entrevista bombástica logo após o fim da partida, dizendo que foi "humilhado" por ser preterido pelo treinador, alegando que o time necessitaria de sua experiência em campo.

Rogério Ceni contemporiza. Diz que ficou tão chateado quanto Rivaldo com a derrota e sentiu vergonha diante da péssima atuação da equipe.

A tensa entrevista de PC Carpegiani após o jogo era dada com o semblante de quem sente que sua batata assou.



A batata de Carpegiani, aqui, com ervas



Depois, a diretoria se reúne e entende que é melhor manter Carpegiani.

Rivaldo afirma que o clima é de paz no CT da Barra Funda. Mas foi multado em 20% do seu ordenado.

Rogério Ceni prefere falar que, no momento, o futebol é dos mais jovens.

Enfim, é possível entender alguma coisa?

Pode se tentar, e iniciar um debate a respeito.

O São Paulo fez suas consultas, mas não existe ninguém disponível no mercado de treinadores.

Diz-se de parte do grupo que não gosta de Carpegiani, mas antigamente nada disso vazava para a imprensa. Agora, encontramos um São Paulo onde as reclamações são públicas e os boatos de bastidores ganham relevância.

A opção do São Paulo revela que problemas existem, mas os dirigentes parecem querer retomar um espaço perdido.

O processo que manteve Juvenal Juvêncio no cargo foi bastante conturbado e necessitou de muita dedicação por parte do dirigente. Além disso, ainda tem a reforma do Morumbi. É sabido que em toda vez que o estádio se coloca como uma prioridade para o São Paulo, o time pena.



A divertida gestão de Juvenal Juvêncio



Diante disso, perde-se o comando que o clube, aparentemente, tinha. Os problemas passam a aparecer mais e evidenciam-se as semelhanças com o amadorismo corrente do futebol brasileiro.

A decisão da diretoria passa um pano na crise, mas não a limpa.

Voltando um pouco ao jogo, tecnicamente, o treinador não errou ao não colocar Rivaldo em campo.

O meia não vinha bem, o que justificava sua presença no banco, e ,durante quase todo o segundo tempo, o time precisava de velocidade pelas pontas para furar a retranca do Avaí, já que o resultado o eliminava. A experiência era importante, e em campo haviam muitos jogadores que já disputaram e venceram a Libertadores da América.

Usando a retórica de Caetano Veloso, Rivaldo poderia ser importante naquele momento, ou não.



Pra Rivaldo, fora o que tá mal, tá tudo bem!



Depois da relação entre PC e Rivaldo se tornar insustentável, o jogador não se arrepende do que diz, mas fica tudo em paz.

E aí entra a torcida, que ainda vai pegar no pé do treinador em algum momento.

Ainda mais porque ele não fugiu à responsabilidade, e reafirmou que quem escala o time é ele!



Carpegiani tá mal no jogo, mas tá trucando!



Para Carpegiani, só resta vencer para afastar a ameaça constante de demissão, resta ver se o time está disposto a correr por ele. Parece que não.

Ainda fica uma pergunta no ar: sendo Rivaldo contratado, na prática, por Rogerio Ceni, expressa uma posição (de descontentamento) somente sua?



O salomônico Rogerio Ceni relativiza




Valeu,

Bruno Porpetta

Falha nossa

No post que comentou a derrota do São Paulo "Botando o papo em dia" de 13 de maio, afirmei que Carpegiani havia caído no dia seguinte.

Não caiu, foi mantido!

E com a permanência, vieram as desculpas para Rivaldo, cujo caráter foi colocado em dúvida na entrevista coletiva do treinador.

Se foi boa ou ruim a decisão do tricolor em mantê-lo é que não se sabe.

Na minha opinião, pela falta de opções no mercado, melhor ficar com ele mesmo.




Falei merda, mas acontece...



Peço desculpas pela falha.


Valeu,

Bruno Porpetta

domingo, 15 de maio de 2011

Galo triste

Quando o Atlético-MG finalmente achou que ia, não foi.

O Cruzeiro fez 2 a 0 na Arena do Jacaré e conquistou o campeonato mineiro.

Deve ter atleticano dando com a cabeça na parede, a essa hora.









Valeu,

Bruno Porpetta

Santa Cruz de um lado, e um babaca do outro

O Santa Cruz foi campeão pernambucano mesmo perdendo por 1 a 0, dentro de casa, gol de Marcelinho Paraíba.

Ele converteu um pênalti, nos acréscimos do segundo tempo, enquanto a torcida tricolor já comemorava o título. E ao soar do apito que encerrava o jogo, partiu pra cima dos jogadores do Santa Cruz.

Patético!

Serviu para estragar a festa do Santa, depois do Sport se mostrar um time nervoso durante toda a partida.

Tanto que o melhor jogador em campo foi Magrão, o goleiro do Leão da Ilha.

Título merecido para o Santa Cruz, e para sua torcida que há muito esperava ver o time ganhar um estadual.

E para o Marcelinho Paraíba, um gancho daqueles. Ou, quem sabe, porque não parar com o futebol? Pra fazer isso em campo, melhor ficar em casa.


Valeu,

Bruno Porpetta

A vitória do genérico

Mais de uma década depois da criação dos genéricos, ninguém imaginava que um dia daria tão certo!

Em Salvador, dentro do estádio Barradão, o Bahia foi campeão baiano.




Festa do Bahia, mas a 116 km de Salvador



Mas se você acha que foi o famoso tricolor baiano, com uma enorme torcida, bicampeão brasileiro e, hoje, de volta à Série A, se enganou.

Foi o de Feira de Santana.

O Tremendão, como é chamado, assim como Erasmo Carlos, virou o placar na casa do Vitória, venceu por 2 a 1 e conquistou seu primeiro título estadual.

Um alento na combalida vida pública de José Serra.


Valeu,

Bruno Porpetta

A contribuição gaúcha no combate ao desemprego

Imaginem só!

Dia de Gre-nal decisivo, pelo Campeonato Gaúcho (ou Nacional, para alguns).

Ambos vinham de eliminação na Libertadores. E ambos perderam a vaga em casa!

Ou seja, na República dos Pampas, havia muito mais em jogo do que o título gaúcho. Eram as cabeças de Renato ou Falcão que estavam a prêmio!

Quem perdesse o título, provavelmente sofreria uma pressão absurda a partir de segunda-feira. Da torcida, da imprensa, dos dirigentes, até de si próprio.





Diante desta situação, nada melhor do que acabar o jogo como acabou. O Inter reverteu a derrota da semana passada e aplicou o mesmo placar na casa do adversário (ou inimigo, para vários), 3 a 2 pro Colorado, com direito a uma bobagem pra cada goleiro. Um pênalti desnecessário de Vitor, e um presentão de Renan nos pés de Borges.

Com este placar, teríamos um Gre-nal, valendo o Campeonato Nacional (ou Gaúcho, para poucos), decidido nos pênaltis. Pra botar o coração pra fora pela boca!

No fim das contas, temos duas opções. Ou saudamos o heroísmo dos goleiros, ou apontamos a incompetência dos batedores.

Vitor pegou dois pênaltis. Que é muita coisa!

E como numa disputa de porrinha, Renan pegou três - só de sacanagem - e o Inter levou o caneco!

E se, no confronto dos inimigos (ou adversários, para uma meia dúzia), deu Colorado, ao menos os empregos dos dois treinadores foi salvo.

Para o bem da economia da terra do Presidente Tarso Genro!


Valeu,

Bruno Porpetta


P.S.: Aos gaúchos, este artigo foi integralmente escrito em português, língua oficial aqui do Brasil. Quem puder, e quiser, traduzí-lo para o gauchês, fique à vontade!

O Santos é melhor, e pronto!

Muito se especulava a respeito do cansaço do Santos, devido a intensa sequência de jogos decisivos, tanto pelo Paulista, como pela Libertadores.

Mas, por incrível que pareça, o que se viu foi um time inteiraço na decisão paulista.



O Santos é bicampeão paulista, e já não é a primeira vez!


No primeiro tempo, botou o Corinthians na roda. Entrava como queria na defesa corinthiana e só não fez mais gols porque pecou pelo preciosismo. Aquele toquezinho a mais acabou atrapalhando.

O gol saiu aos 16 minutos, com Arouca. Justamente o jogador que vinha sendo poupado por ter sentido o desgaste da maratona de jogos.

Na etapa final, o Corinthians precisava ir pra cima do Peixe, mas o meio-campo é fraco.

Não adianta nada ter Liedson na frente se o meio não consegue articular uma jogada para muní-lo. E, apesar da postura mais defensiva, o Santos conseguia ser mais perigoso nos contra-ataques.

E assim, aos 38 minutos, Neymar ampliou num frangaço de Julio César. Era o gol do caixão e vela preta.

Mas dois minutos depois, numa tentativa de bola alçada por Morais, a bola acabou entrando direto no canto esquerdo do goleiro Rafael. Para por fogo no jogo!

Só que o Santos tem muito mais time que o Corinthians e soube segurar a vantagem até o final.

Santos bicampeão paulista!

Cansado ou não, prevaleceu a qualidade.


Valeu,

Bruno Porpetta

sábado, 14 de maio de 2011

Uma imagem que vale mais de mil palavras

Em tempos de Marcha da Maconha e criação do Movimento pela Legalização da Maconha, sempre é bom reafirmar.






Valeu,

Bruno Porpetta

Grandes novidades

O Barcelona sagrou-se tricampeão espanhol ao empatar com o Levante por 1 a 1, fora de casa.

Pelo mesmo placar, mas com muito mais suor, o Manchester United garantiu o título inglês contra o Blackburn, também na casa do adversário.

Ah, vá! Não brinca? Que surpresas!


Valeu,

Bruno Porpetta

Botando o papo em dia

Devido à pane do Blogger, vamos dar uma geral na rodada do meio de semana de uma vez só.

O filho único de mãe solteira do Brasil na Libertadores, o Santos, venceu o Once Caldas na Colômbia por 1 a 0. O gol foi marcado pelo substituto de Ganso, o meia Alan Patrick. Neymar teve belíssima atuação, chamando a responsabilidade para si quando foi necessário.

Na Argentina, o Velez Sarsfield derrotou o Libertad, que é o São Caetano paraguaio, por 3 a 0. Não era tão feio assim o bicho, não é mesmo Flu?

Pela Copa do Brasil, foram definidos os quatro semifinalistas. E quanta surpresa!

O Flamengo lutou muito, mas depois de abrir 2 a 0, com dois gols de Thiago Neves e, enfim, uma boa atuação de Ronaldinho, acabou levando o empate e caiu fora.

Sem tirar os méritos do Ceará, a expulsão injusta de Ronaldo Angelim estragou o jogo.

No Pacaembu, o Palmeiras minimamente conseguiu salvar parte da honra destroçada pela humilhante goleada sofrida no jogo de ida, em Curitiba.

Venceu por 2 a 0 e, ao menos, pode dizer que interrompeu a série invicta do Coritiba no ano.

O Vasco garantiu sua classificação, mas foi suada.

Se no primeiro tempo sufocou o Atlético-PR e criou as melhores chances de gol, no segundo foi apático, deixou o Furacão jogar até levar o primeiro gol. Depois Elton empatou, mas o Vasco ainda passou mais apuros até o apito final. Podia ter facilitado mais as coisas, mas parece escolher sempre o caminho mais difícil.

Até agora deu certo, mas vai saber.

O grande mico acabou sendo o São Paulo.

Após ter sido o único clube grande a não sucumbir à bruxa da semana passada, vencendo por 1 a 0 o Avaí, apesar do gol ter sido contra, o tricolor levou um vareio dos catarinenses no Estádio da Ressacada.

Com Casemiro abrindo o placar, tudo parecia que seria tranquilo para o São Paulo, mas o Avaí virou para 3 a 1, levou a vaga, e cabia mais.

Óbvio que Carpegiani caiu no dia seguinte.

E o tricolor pagou por sua irregularidade.

Agora, as semifinais ficaram entre Vasco X Avaí e Coritiba X Ceará. Até o momento, o Coxa é favorito, mas certeza mesmo nem se terá arroz no almoço de amanhã, que dirá sobre o campeão!


Valeu,

Bruno Porpetta

quinta-feira, 12 de maio de 2011

É o Peñarol, p...!

Pelas quartas-de-final da Libertadores, Peñarol e Universidad Catolica do Chile se enfrentaram no Estádio Centenário, em Montevidéu.

Para quem viu os jogos de ambos pela competição sulamericana, sabe que o time chileno é melhor. Bem melhor, inclusive.

E após o bom início do Peñarol, natural para quem joga em casa e diante de uma grande e fanática torcida, o Universidad Catolica tomou conta do jogo no primeiro tempo.

Eis que apareceu o melhor jogador do Peñarol no jogo, o goleiro Garcés, do Catolica.

Ao soltar uma bola fácil nos pés de Juan Olivera, 1 a 0 Peñarol, aos 36 do primeiro tempo.

O segundo tempo foi de um time tentando atacar, e outro conseguindo se defender, mas sem saída de jogo. O time chileno mantinha a posse de bola, mas esbarrava na retranca uruguaia. Já o Peñarol não conseguia avançar trocando passes até o campo de ataque.

Ao apagar das luzes, com o relógio marcando 48 minutos do segundo tempo, o Peñarol dá um chutão pra frente. Bola fácil para o goleiro Garcés, mas ele apronta mais uma e entrega a bola para Martinuccio fazer 2 a 0 e ficar bem próximo das semifinais.




O Peñarol continua gigante, apesar dos pesares


O Peñarol não é mais aquele Peñarol, cinco vezes campeão da Libertadores. Mas é o Peñarol, p...!


Valeu,

Bruno Porpetta

quarta-feira, 11 de maio de 2011

O Blog Terribili: Qual a graça?

O Blog Terribili: Qual a graça?: "Umas das principais polêmicas da semana é a entrevista da revista 'Rolling Stone Brasil' com o cqc Rafael Bastos. A matéria revela um trecho..."

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Barça e Manchester tranquilos

Os dois finalistas da Liga dos Campeões podem respirar aliviados até o dia da decisão, em Wembley.

Com as vitórias do final de semana, ambos dependem de apenas um ponto para confirmar o título nacional.

O Manchester sai para enfrentar o Blackburn, depois recebe o Blackpool, pela última rodada do Campeonato Inglês.

Já o Barça, pelo Espanhol, joga fora contra o Levante, recebe o La Coruña e encerra contra o Málaga, fora de casa.

Fácil, né?

Daí em diante, pensam somente um no outro. E esse jogo promete!


Valeu,

Bruno Porpetta

Começaram as decisões estaduais

Hoje começou a decisão nos maiores campeonatos estaduais do país.



Hora de passar a régua nos estaduais!


Pelo Paulista, Corinthians e Santos empataram em 0 a 0, no Pacaembu, em um clássico onde o Santos foi melhor no segundo tempo, justamente o único onde houve bom futebol. Neymar resolveu infernizar a vida do Timão, e Ganso saiu com lesão muscular ainda no primeiro tempo. Só pra adoçar o humor de Muricy.

No Gauchão, pra variar, Gre-Nal. No Beira Rio, o Grêmio pulou na frente. Fez 3 a 2, e o gol que desempatou o clássico foi fruto de uma falha sinistra de todo o sistema defensivo colorado.

Em Minas Gerais, o Cruzeiro sentiu o papelão do meio de semana na Libertadores. Com mando de campo atleticano, perdeu por 2 a 1 para o Galo. Nada está perdido, mas é bom cuidar logo das feridas abertas pelo vexame contra o Once Caldas, o Brasileirão vem aí e não perdoa um começo ruim.

O Santa Cruz fez 2 a 0 no Sport, em plena Ilha do Retiro, e deu um passo enorme rumo ao título pernambucano. E pode se tornar o novo algoz do hexacampeonato do Leão da Ilha.

Na Bahia, um Ba-Vi paraguaio! O Vitória foi a Feira de Santana e arrancou um empate por 2 a 2 contra o Bahia de Feira. Ficou bem na parada para o jogo de volta, no Barradão.

Em Goiânia, no estádio Serra Dourada, o Atlético-GO empatou em 1 a 1 com o Goiás heroicamente. Arrancou o resultado jogando com dois a menos, graças a excelente atuação do goleiro Márcio.

Jogando em Criciúma, o time da casa fez 1 a 0 na Chapecoense pela decisão do Catarinense.

No Rio, o Flamengo já faturou o título na semana passada.

E no Ceará, foi a vez do Vovô conquistar também o segundo turno e ser campeão direto, com direito a goleada. No estádio Presidente Vargas, 5 a 0 sobre o Guarani de Sobral.

Agora, os dois campeões antecipados se pegam na Copa do Brasil. O Ceará tem a vantagem do empate em casa, pois venceu fora por 2 a 1.


Valeu,

Bruno Porpetta

sábado, 7 de maio de 2011

A decisão do STF e a modernização sistêmica

Esta semana, o Supremo Tribunal Federal decidiu, por unanimidade, dar à união estável homoafetiva os mesmos direitos das relações heterossexuais.



Na Globo não pode, mas aqui no blog sim! Viva o amor!



É sim motivo para comemorar!

Conhecendo o STF como a gente conhece, é um avanço significativo. Aquele poço de conservadorismo teve de se curvar à realidade.

Gostando ou não, as relações estáveis homoafetivas existem, mas não podem cadastrar dependentes em planos de saúde, requerer o patrimônio constituído durante a relação em caso de morte de um dos dois, entre outros direitos negados a quem, aos olhos da sociedade, parece cometer um crime por amar alguém.

A unanimidade em nossa Suprema Corte é ainda mais surpreendente. Votos como os de Gilmar Mendes e Ellen Gracie, notoriamente conservadores a serviço do latifúndio, das indústrias poluidoras e dos barões da mídia, são, considerando tudo isso, extremamente positivos.

Portanto, aos defensores e defensoras da democracia plena, com direitos iguais a todos e todas, é uma vitória maravilhosa!

Embora caiba uma reflexão.

O reconhecimento de tais direitos aos casais homoafetivos é um avanço, sem dúvida. Mas esta decisão foi tomada pelo Judiciário e parte dele recomendou consulta ao Legislativo.

O Poder Judiciário é, por questão de formação e composição, um espaço mais suscetível a novas ideias. Novas para os padrões brasileiros, claro.

O capitalismo moderno, mesmo com todos os prejuízos aos trabalhadores, não mais admite determinados atrasos. Até porque, na nova ordem mundial pós-Guerra Fria, onde tudo é mercado, alguns setores também são nichos de consumo.

O setor LGBT também o é. E dos grandes!

Para se ter uma ideia, para além da força do movimento LGBT, a permanência da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo na Avenida Paulista é reflexo do quanto este mercado movimenta a economia paulistana no período em que ela ocorre.

Desde o setor hoteleiro, passando pelo comércio, até a informalidade, gira muito dinheiro em torno da Parada.

A homofobia é violenta, não só para a galera LGBT, mas também para a economia capitalista, diante do que, não é salutar para o próprio sistema mantê-la.

Isso não significa necessariamente que a sociedade deixou a homofobia de lado, mas que o sistema passa a absorver a diversidade sexual como existente e, a partir disso, precisa de proteção legal.

Passando ao próximo passo da luta por igualdade de direitos, resta ao Legislativo aprovar a união civil entre pessoas do mesmo sexo, além do reconhecimento legal de novas identidades de gênero para os transexuais.

E aí é que a porca torce o rabo!

O Legislativo é a expressão do pensamento da sociedade, óbvio que existem algumas distorções dadas pelo poderio econômico, mas não deixa de sê-la.

E nossa sociedade é, infelizmente, majoritariamente conservadora e, portanto, é homofóbica e machista.

Na mão deles é que a democracia anda, muitas vezes, para trás!


Valeu,

Bruno Porpetta

Quando a cultura me enche a paciência

Não sou contra, de modo algum, qualquer manifestação artístico-cultural pública, espontânea, organizada ou não.

Mas tem umas batucadas que brotam do nada, em qualquer lugar, mas principalmente em bairros como a Lapa, no Rio de Janeiro, ou a Vila Madalena, em São Paulo, que são muito chatas.

Ou sou eu que estou ficando velho?

De qualquer forma, não gosto!

E tenho dito!


Valeu,

Bruno Porpetta

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Uma homenagem às torcidas




Valeu,

Bruno Porpetta

A bruxa continua a solta

Se ontem a Libertadores fez a tristeza de uns e a alegria de muitos, hoje foi a vez da Copa do Brasil.



A bruxa resistiu e passou de novo por aqui na quinta


O Flamengo finalmente freou!

Dominou o jogo todo contra o Ceará, no Engenhão, mas é impressionante a incapacidade de transformar isso em gols. Ronaldinho parecia que desta vez ia, mas não foi. A torcida continua esperando que Deivid seja o atacante de antigamente. Rodrigo Alvim é uma pedra no sapato do próprio time.

Porém, gostaria de suscitar um debate. No segundo gol do Ceará, de Geraldo, ao dominar a bola o camisa 10 a desvia com o braço. Apesar de argumentar a ausência de intenção, no que pode até estar certo, não fosse o toque com o braço e ele a perderia, após o pé a fez subir. O desvio foi fundamental para que ele conseguisse dominar a bola. É falta ou não?

No fim das contas, isto não explica a derrota do Flamengo.

Resumindo, não adianta ter a bola se não se sabe o que fazer com ela. Final, 2 a 1 para o Ceará e uma boa vantagem para a volta em casa.

Embora o Flamengo ainda possa reverter. Difícil, mas possível.

E não é que alguém conseguiu fazer pior?

Melhor também, claro.

No estádio Couto Pereira, em Curitiba, o futebol escreveu mais uma de suas histórias.

O Coxa enfiou só 6 a 0 no Palmeiras!

E digo só porque o Coritiba ainda perdeu chances e Marcos fez grandes defesas. Cabia mais!

Foi um show do agora único invicto do ano. Uma grande atuação! Com gols de Emerson, Davi, Léo Gago, Bill, Geraldo e Anderson Aquino o Coritiba deu uma aula de bom futebol.

Já o Palmeiras inexistiu! Assistiu aos atacantes do Coritiba tocando e conduzindo a bola dentro da grande área. Marcos ainda fez grandes defesas e, para mim, não teve culpa nos gols. Uma atuação vergonhosa!

A sede do clube já apareceu pichada, mal acabou o jogo.

Tempos difíceis pela frente para a torcida alviverde do Palestra Itália.


Valeu,

Bruno Porpetta

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Enfim, a rodada

Meus caros e caras, como poderíamos classificar o que ocorreu ontem?

Um dia amaldiçoado? Uma triste coincidência?

Não sei!

O que sei é que em uma só tacada, Fluminense, Cruzeiro, Inter e Grêmio caíram fora da Libertadores.



Para entrar pra história!


Vejamos caso a caso.

O Fluminense adotou uma postura extremamente covarde diante do Libertad. Com 3 a 1 na bagagem, alcançados no jogo de ida, no Engenhão, era possível jogar mais solto. Suportar a pressão inicial - o que o Fluminense conseguiu - e sair mais pro jogo, mas não foi o que ocorreu.

No segundo tempo, só deu Libertad! E jogando atrás, esperando o time da casa atacar, sofrer o gol seria inevitável. E sofreu! Daí, com 1 a o contra, fica aquela dúvida: sair mais para não sofrer tantos ataques e correr o risco de levar outro ou retrancar de vez e ser constantemente bombardeado?

Escolheram a segunda opção, foram bombardeados e levaram outro, e mais outro. Final, 3 a 0 Libertad, com direito a duas expulsões tricolores nos acréscimos.



Fred e sua touquinha "in the swimming pool": tá fora!


Ridículo!

O Cruzeiro havia vencido fora o Once Caldas por 2 a 1.

Só lembrando, era o confronto do melhor time da Libertadores contra o pior classificado.

E para um time que goleava com constância, nada mais fácil que aniquilar o Once Caldas em casa. Mas não foi bem assim.

O Cruzeiro conseguiu, mais uma vez, o improvável. Perdeu por 2 a 0, perdeu a cabeça, perdeu a vaga. O treinador Cuca ainda foi expulso por uma cotovelada em Rentería que pode lhe render uma bela punição. Roger também foi pro chuveiro mais cedo, além de Carbonero, do time colombiano.

Para quem já tem duas Libertadores nas costas, o Cruzeiro tem alguma dificuldade de se impor na competição.



Sorvete com duas bolas e Once Caldas: tá fora!


Ridículo!

O Inter empatou fora por 1 a 1 com um gigante do futebol sulamericano, o Peñarol. Mas o clube uruguaio já não é aquele que ganhou cinco Libertadores. Ganhar em casa era um dever. Pelo menos um 0 a 0 pra classificar.

Fazer 1 a 0, com gol de Oscar, logo a um minuto de jogo era prenúncio de goleada, mas no primeiro tempo o Inter esbarrou na defesa uruguaia e na sua própria indolência.

E o Peñarol, que devia vencer para prosseguir, voltou com outra atitude para o segundo tempo e deu sorte. Mais ligado no retorno, fez dois gols em cinco minutos - o primeiro aos 13 segundos - e jogou no colo do Inter a responsabilidade. Mas o Colorado não a assumiu.

O time gaúcho martelou, martelou, martelou... mas com uma dose de desespero a bola não tinha jeito de entrar. Acabou eliminado em casa, reunindo sua segunda vergonha em menos de seis meses. Não se esqueçam do Mazembe!



Só chorando mesmo: tá fora!


Ridículo!

E ainda tem o Grêmio, que foi menos vergonhoso, pois já tinha passado sua vergonha na semana passada. Perdeu de novo, desta vez por 1 a 0. Já era esperado.



Enquanto uns comemoram, outros só olham: tá fora!


Ridículo!

O Santos, que não jogou ontem, acabou dando sorte. Pelo jogo em si, em que foi massacrado por 90 minutos e não sofreu gol, e pelo calendário, que o fez escapar da maldição da quarta-feira. Este último, para quem acreditar nisso.

A vitória do São Paulo por 1 a 0, com um golaço contra, e o empate na Arena da Baixada, que foi um grande resultado para o Vasco, ambos pela Copa do Brasil, acabaram passando batido diante de tanta tragédia. Ou talvez, tragicomédia!






Valeu,

Bruno Porpetta

Agora eu tenho tuíter!

Adentrando ainda mais na era moderna, inventei de ter um twitter.

Quer anotar?

www.twitter.com/brunoporpetta

Ou pra quem já tá na parada, @brunoporpetta!

Lá vou divulgar as mesmas bobagens que escrevo aqui, além de outras.


Valeu,

Bruno Porpetta

Ainda não dá pra falar da rodada

Gente, todo mundo que me conhece, sabe que eu acho esse papo de "Brasil na Libertadores" uma bobagem.

Pouquíssimos torcedores compram essa ladainha.

Óbvio que gremistas, colorados, rubronegros, botafoguenses e atleticanos de Minas Gerais estavam secando os times que jogavam hoje!

E conseguiram!

Portanto, primeiro eu vou parar de rir, depois eu escrevo sobre a rodada.


Valeu,

Bruno Porpetta

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Goleada em Manchester

No jogo de volta entre Manchester United e Schalke 04, em Old Trafford, o time alemão resolveu se abrir para tentar virar o placar de Gelsenkirchen e... se deu muito mal!

Acabou goleado pelo time inglês por 4 a 1, gols de Gibbs, Scholes e dois de Anderson para os Red Devils, Escudero descontou para o Schalke.

Bom comentar, dois gols do segundo volante Anderson e até o Berbatov foi bem. Sim, o United poupou jogadores!

Agora, que venha o Barcelona!


Valeu,

Bruno Porpetta

Barcelona X Real Madrid: minissérie em quatro capítulos (último capítulo)

O quarto, e último, confronto entre Barcelona e Real Madrid chega carregado de tensão.

Principalmente por conta das críticas de José Mourinho à arbitragem que, segundo ele, recorrentemente favorece ao Barcelona.

Além disso, o resultado na partida anterior colocou o Barça como franco favorito à classificação para a grande final da Liga dos Campeões. Os 2 a 0 na casa do adversário deram ao time catalão a possibilidade de um jogo mais tranquilo no Camp Nou. E ao Real, era tudo ou nada!



O último confronto da série


Para este jogo o Real não contou com Sergio Ramos e Pepe, suspensos, e Khedira, machucado. A surpresa na escalação ficou por conta de Kaká e Higuaín, ambos retornando ao time titular após longo período de afastamento.

O Barça teve o retorno de Iniesta, após lesão. E como faz diferença!

É natural que, no início, o Real tente sufocar o Barcelona no campo de defesa, buscando logo o primeiro gol. Um gol antes dos primeiros 15 minutos de jogo mudaria toda a história do confronto.

Mas o gol não saiu, e a partir daí o Barça conseguiu retomar a posse de bola e criar chances de gol.

Na volta para o segundo tempo, mal deu tempo para respirar. Logo no início o Real marcou com Higuaín, mas o árbitro anulou erradamente. Pronto, agora é que o Mourinho tem um chilique.

Aliás, Mourinho que inaugurou uma nova categoria de treinador. O "treinador à distância"! Suspenso pela expulsão no jogo passado e reticente em aparecer no Camp Nou, Mourinho ficou no hotel durante o jogo. Ainda não se sabe se ele entrava em contato com Karanka, seu auxiliar, no momento da partida, mas de qualquer forma é esquisitíssimo.

Voltando ao que interessa, logo após o gol anulado foi o Barça que abriu o placar. Passe monumental de Iniesta que encontrou Pedro de frente para Casillas. Gol!

Pedro, recém-saído de contusão, não vinha bem. O gol foi importante para que ele readquira a confiança em si próprio.

Dez minutos depois, o Real empata. Di Maria passa fácil por Mascherano e chuta na trave, a bola volta no seu pé e ele rola pro lado, Marcelo arremata pro gol.

Só um parêntese! Jogar com volante improvisado como zagueiro é dureza. O gol mal anulado já tinha sido nas costas do Mascherano, agora o gol válido é também em cima dele. Ali tava o espaço que o Real precisava, mas não usou o suficiente.

Daí em diante o Barcelona fez o que mais sabe. Tocou a bola, pacientemente, fazendo o tempo passar. Tempo que o Real não tinha.

O momento mais emocionante ficou a cargo do retorno de Abidal, que retirou um tumor do fígado e comoveu a torcida ao entrar em campo depois de um mês e meio.

Final de jogo, 1 a 1 no Camp Nou. O Barcelona está na final da Liga dos Campeões.

No fim da minissérie, o Real ganhou a Copa do Rei e impediu a tríplice coroa, mas o Barça ainda tem dois títulos em disputa. Um é mais provável, o do Campeonato Espanhol, o outro, só saberemos em 28 de maio, em Wembley.

Por enquanto, a ousadia venceu! Mas a guerra continua... e continuará para sempre, entre espanhóis e catalães. Entre Real Madrid e Barcelona.


Valeu,

Bruno Porpetta

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Coincidência?

O "nascimento" de Osama Bin Laden para o mundo se deu naquele fatídico 11 de setembro de 2001.

Os atentados contra as torres do World Trade Center e o Pentágono, além de uma esquadrilha da fumaça inteira que, dizem, se perdeu por aí, catapultaram a imagem de Bin Laden à condição de inimigo público número um do planeta. O planeta estadunidense, claro.

À época, o presidente dos EUA, ou o "dono do mundo" de plantão, George W. Bush, sofria de carência de popularidade.

Sua eleição ainda era cercada de desconfiança, após a demorada indefinição da Florida, que votou em Al Gore e elegeu Bush. A decisão final foi da Suprema Corte estadunidense, e o estado em questão era governado pelo irmão do eleito. O povo tinha lá suas razões para desacreditar.

Aí vieram os ataques, a comoção pública em torno da tragédia e a chance da virada.



Depois de Tamagochi, o amigo virtual, temos o inimigo virtual, Osama


A resposta bélica e enérgica contra o suposto esconderijo do mentor dos ataques deu uma moral para Bush com a galera, além de alavancar os negócios armamentistas e petrolíferos estadunidenses.

E o Bush Boy alcançou um dos maiores níveis de popularidade da história dos EUA. Pronto, pode começar a se sentir mais confortável na cadeira presidencial.

De lá pra cá, Bush passou de defensor da democracia, da justiça, da moral e dos bons costumes (todos ocidentais) a um poste diante da crise econômica que assolava o país.

Diante de tal desgaste, vem a onda Obama.

E o primeiro presidente negro da história dos EUA chegou à Casa Branca com índices astronômicos de popularidade, pouco a pouco dinamitados pelas dificuldades impostas pela crise, as promessas que não saiam do papel e a dificuldade em aprovar projetos no Congresso, como a reforma do sistema de saúde. Para se ter uma ideia do drama, a primeira-dama é mais popular que o presidente.

Quando, às vésperas do próximo processo eleitoral e com a popularidade indicando um retumbante fracasso em sua tentativa de reeleição, eis que aparece novamente a figura do providencial Osama Bin Laden. Agora morto!

Depois de 10 anos bombardeando dois países, matando civis, impondo-lhes a sua democracia e torrando centenas de bilhões de dólares em toda essa patacoada, em detrimento da própria população estadunidense que penava com sua economia explodindo, finalmente acharam o cara.

Imediatamente me veio a cabeça o caso de Leonardo Pareja, o playboy bandido que deu um baile na polícia nos anos 90, até ser morto em circunstâncias estranhas.

E assim, de repente, Osama foi encontrado, morto e jogado aos tubarões. E era ele mesmo, após um exame de DNA feito em segundos pela liga da justiça estadunidense.

Como a história se repete como farsa, lá vai a popularidade de Obama pro alto. Festas de exaltação patriótica, a gratidão mundial por ter extirpado de nosso convívio um ser de tamanha maldade (inclusive o nosso Patriota) e os holofotes voltados novamente aos EUA sem a necessidade da quebra de nenhum banco.

Nada mais conveniente.

Pois é, assim se movem novamente as peças do jogo de War que a Casa Branca promove no planeta, com a coadjuvação de boa parte dele.

E podemos ficar tranquilos, pois sabemos de antemão que a cada presidente estadunidense com baixa popularidade, teremos um Bin Laden pra dar uma forcinha.

Coincidência? Sabemos que não!


Valeu,

Bruno Porpetta

domingo, 1 de maio de 2011

No Rio, o Bonde atropela o Trem

Flamengo e Vasco decidiram a Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.

Ou melhor, o Bonde sem Freio e o Trem Bala da Colina.



O Rio de Janeiro pintou-se de vermelho e preto


O primeiro não encantou ninguém o ano inteiro, mas também não perdeu. Já o segundo, depois de um início tenebroso, teve uma recuperação espetacular, com direito a goleadas históricas e atuações bem convincentes, embora tivesse alguma irregularidade.

Do lado rubronegro, tá aí uma coisa que houve: regularidade. O Flamengo foi regularmente chato em quase todas as partidas, com algumas exceções. Mas foi um time que, de forma chata, foi vencendo. E assim, sem perder, conquistou a Taça Guanabara.

Em São Januário, o Vasco vivia problemas de relacionamento entre todos com todos. Eram os problemas da torcida com PC Gusmão, Carlos Alberto e Felipe de um lado. Os problemas dos jogadores com a diretoria por atraso de salários. Os problemas da torcida com a diretoria. Os problemas do treinador com os jogadores, e vice-versa. Resumindo, eram só problemas.

Óbvio que tudo isso refletiu no campo. Daí, a diretoria tomou aquela que pode ter sido sua melhor decisão diante de um problema como este. Afastou Felipe do elenco, se livrou de Carlos Alberto e demitiu PC Gusmão.

E o Vasco voltou a vencer, embora já fosse muito tarde. Perder os quatro primeiros jogos da competição pesou no fim. Ficou fora das semifinais. Bem fora, inclusive.

Daí, foi contratar Diego Souza junto ao Atlético-MG, trouxe Ricardo Gomes para o banco, e reintegrou Felipe após alguns dias de gelo, a torcida pediu e ele voltou.

Começaram a aparecer as figuras de Bernardo, excelente jovem que veio do Cruzeiro, Dedé voltou a mostrar sua competência do ano passado e até Ramon voltou a jogar bola.

Somado a isso, Felipe passou a orquestrar o meio-campo do Vasco. E foi fundamental para que o Vasco fizesse uma Taça Rio louvável.

O Flamengo, por sua vez, fez uma Taça Rio preguiçosa. Como já estava na final do Carioca, acomodou-se. Mas continuou sem perder. Na hora que precisou vencer, como no clássico com o Botafogo, venceu. Mas também, quando podia sair com a vitória, no último jogo contra o Macaé, não o fez. Acabou indo para as semifinais em segundo lugar do grupo.

Enquanto o Vasco enfrentava o Olaria, o Flamengo pegava o Fluminense.

Apesar de encontrar um bom time, a camisa do Vasco prevaleceu. Vitória por 1 a 0 e uma confiança muito grande para a final.

No Fla-Flu, o time de Luxemburgo até foi bem. Venceu nos pênaltis uma partida que poderia até ter resolvido no tempo normal. O que confirma a tese de que, além do freio, faltava embreagem ao bonde. Se não parava, também não engatava a segunda.

Por tudo isso, se para um, a final da Taça Rio era chegar à decisão do estadual e disputar contra o mesmo adversário o título carioca, para outro, era a possibilidade de título direto, sem final.

E o jogo começou equilibrado. Cada um teve uma chance clara de gol. Um chute de fora da área que passou perto. E um jogador imóvel no meio-campo para cada lado. Ronaldinho, pelo Flamengo, e Diego Souza, para o Vasco.

Na volta para o segundo tempo, o Vasco, que precisava vencer para forçar a final do estadual, voltou melhor. Apesar da entrada de Wanderley dar mais movimentação ao ataque, a saída de Bottinelli reduziu o poder de criação da equipe rubronegra. Os cruzmaltinos ganharam o meio-campo, mas não conseguiram criar muitas chances.

No último apito, 0 a 0 e, tal como em São Paulo, iríamos aos pênaltis.

É o momento onde pesam todas as questões internas e externas ao campo de jogo. O Flamengo vinha de viagem ao Ceará, onde jogou pela Copa do Brasil, enquanto o Vasco jogou dentro de sua casa. Mas o Vasco não vencia uma final contra o Flamengo desde 1988. Ou seja, 23 anos de jejum em finais contra o rival.

Além disso, estava em jogo o direito de jogarem mais duas partidas entre si pelo título carioca. Nesta situação, o Vasco levaria vantagem "moral" para as finais.

Noves fora, tudo pesou a favor do Flamengo.

As cobranças vascaínas foram horrorosas, embora desperdiçadas por jogadores jovens, que poderiam mesmo sentir a pressão toda.

O Flamengo sequer precisou da última cobrança para se sagrar pela 32ª vez campeão estadual. A quinta de forma invicta.

Em outras palavras, o Bonde sem Freio atropelou o Trem Bala da Colina.

Para quem mora no Rio pode imaginar, a culpa deve ser da Supervia.


Valeu,

Bruno Porpetta